Significado de Devaneio: 1. Estado de espírito de quem se deixa levar por lembranças, sonhos e imagens; 2. Quimeras, fantasias, ficções.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Sobre nada?


Quero escrever, estou com uma inquietante vontade de escrever,
só não me veio a idéia do que exatamente irei ou estou escrevendo. Sei lá!

Como não me vem um tema, vou me apegar ao “nada”.
Já que temas me faltam vou usar o nada,
e isto está dando certo até agora pelo menos.
Soa irônico “do nada fazer existir coisas”.
Querendo ou não são seis linhas, sete com essa,
falando absolutamente nada de nada.
O que afirma a possível teoria das coisas poderem vir do nada.
O nada é constante. E tem que ser visto como “alguma coisa”,
apesar de ser nada. Pois bem, onze linhas se passam,
 e eu já posso dizer do que estou escrevendo,
encontrei o meu tema, “nada”.
Mas o nada expressa alguma coisa, ou melhor,
ele é um pronome indefinido que expressa nenhuma coisa,
coisa nenhuma, coisa vã, nula, entretanto,
por ele expressar nenhuma coisa,
ele se torna uma coisa pra dizer que existe
coisas que podem não ser coisas, ou seja nada.
Nada, nada mesmo!
O que pensar quando nos depararmos com ele?
Nada.
Pense no nada e não esqueça:
do nada as coisas podem passar a existir.
O que aconteceu?
Nada!
Obrigado.
De nada.
E nada mais
Além disso.

Um comentário:

  1. ...o nada é sempre cheio de coisas a se descrever, como repleto...

    ResponderExcluir